Acredito que essa é a grande sacada, fazer as pessoas entenderem, através de uma prática direta que o que torna um movimento social legítimo são elas e não seus superiores, não seus patrões, e muito menos o Estado.

Uma vez que um grupo de pessoas entenda que elas podem sim fazer muito sem intervenções e sem as bençãos do Estado, elas começam a entender o anarquismo, sem que ninguém se quer cite a palavra “anarquismo”, sem a necessidade de ficar tentando desmentir o estigma que a palavra carrega.

Muita gente confunde anarquismo com “não estou nem aí para política”, quando na verdade, anarquismo é a forma mais direta e pura de se fazer política. O que incentiva de verdade as pessoas a se tornarem despolitizadas é o nosso atual modelo político submetido a essa “partidocracia”, onde você elege alguém para pensar nos problemas por você, te distanciando assim de uma política verdadeira, sua responsabilidade termina no voto, depois você entrega tudo nas mãos de terceiros.

A proposta anarquista tenta transcender isso!

Autogestão, sem superiores, sem “representantes” decidindo tudo por você, aqui temos uma real responsabilidade que nos obriga a nos politizar e trabalhar juntos, sem necessidade de organismos falidos e submissos as leis ditadas pelo capital e pelo Estado!

Não precisa nem se dizer “anarquista” se não gosta da palavra, apenas abandone essas organizações engessadas e hierarquizadas, junte pessoas em horizontalidade e comecem a agir! Criem assembleias de bairro, assembleias na escola onde estudam, organizem-se com outros trabalhadores sem a necessidade de um sindicato pelego para conquistar algum direito trabalhista que lhe é negado ainda, faça feiras de dádiva/trocas, hortas comunitárias. O importante aqui é ensinar e aprender a organização horizontal, e tomar de volta o controle sobre sua vida!

Pessoas organizadas não precisam de líderes!

É difícil? Claro que sim! Estamos acostumados a ter líderes, políticos, policiais, patrões, e todo tipo de superiores decidindo absolutamente tudo por nós, começar a pensar por conta própria pode ser doloroso, e o aprendizado leva gerações mas não existe outro caminho para um mundo melhor, precisamos começar agora. Liberdade não existe sem responsabilidade!

Legitimidade Clandestina
Tags:                     

Deixe uma resposta