Diante do caos político e financeiro instalado no Rio de Janeiro há anos, o governo estadual assumiu seu total colapso institucional aceitando uma profunda intervenção federal na área de segurança pública. Esta é a singela fachada assumida pela intervenção militar exposta nos grandes jornais corporativos que circulam no país. Parte dela é uma realidade inegável, contudo, há elementos ocultos muito mais profundos na iniciativa acordada entre os governos do Estado e da federação. As operações policiais de investigação de pessoas e movimentos sociais evidenciam o silenciamento de todos que negam as injustiças e exploração no Brasil e na América Latina. Miragens políticas e judiciais distraem as populações pobres e trabalhadoras dos problemas reais da Cidade e do Estado do Rio de Janeiro. Através do terror de Estado a população é levada a acreditar que está a beira do caos. Porém, a população já morre sem atendimento médico ou de tiros da guerra social contra os pobres nas periferias do Rio de Janeiro ou Porto Alegre. Reconhecer estes fatos e denunciá-los é um passo decisivo para que a população pobre e trabalhadora no Rio de Janeiro e no Brasil resista contra o autoritarismo cordial da democracia capitalista tirana imposta aqui para fins de exploração e manutenção de privilégios das classes dominantes. Lutar,"reclamar ou reivindicar" direitos básicos como educação, saúde, moradia, transporte, salários dignos, fim do latifúndio, fim da especulação imobiliária, pluralidade e liberdade de organização sindical, atuação livre em movimentos sociais são consideradas pelo empresariado, pelas pessoas governantes (de esquerda e de direita) e pela justiça como ameaças e logo tornadas crimes, e ao final são condenadas como estas 23 pessoas do Rio de Janeiro. Usadas como exemplo do que acontece para todas as pessoas pobres e trabalhadoras, ativistas e militantes que apenas ousam reivindicar por melhores condições de vida. A condenação de 23 ativistas, militantes de causas sociais participantes nas manifestações no Rio de Janeiro em 2013 é o prosseguimento das ações da elite brasileira contra a população pobre e trabalhadora neste país e não é um recado para aquelas pessoas que se manifestam pela liberdade do ex-presidente Lula. O oportunismo eleitoreiro e mesmo o interesse estratégico pela sobrevivência livre das grades leva algumas pessoas a submeterem-se a velha esquerda partidária como tábua de salvação. Agindo assim você salva sua pele e tudo se mantém como está. Existem muitos mais pessoas investigadas, processadas, presas no Rio de Janeiro, Brasília, São Paulo, Rio Grande do Sul, Belém... no Brasil por integrarem sindicatos, movimentos sociais por defenderem causas sociais justas que são tratadas como ameaças pelo Estado e pelo Mercado. Há ocupações de sem teto, há quilombolas, há espaços sociais e culturais ameaçados de despejo em todo o Brasil. Apenas a autorganização social e das pessoas trabalhadoras autônomas pode responder às ameaças, investigações, processos forjados, condenações políticas nesta que é a guerra social cirúrgica do Capitalismo e do Estado brasileiros conta a população pobre e trabalhadora nos campos e nas cidades. Denunciamos o aniquilamento de populações indígenas. Denunciamos o genocídio das populações negra. Denunciamos o extermínio das populações periféricas. Denunciamos infiltração, processos forjados contra ativistas e militantes sindicais e de causas sociais. Denunciamos condenações políticas e perseguição ideológica contra anarquistas. Denunciamos a Operação Erebro e Operação Firewal como processos políticos-ideológicos. Exigimos o cancelamento das investigações, operações e perseguições a todas as pessoas ativistas e militantes sociais.

 

Iniciativa Federalista Anarquista - Brasil

0
0
0
s2sdefault

América Latina Livre: abaixo a ditadura da direita e esquerda. Todo apoio aos anarquistas e população venezuelana. Contra o genocídio do povo índio e negro.

4º Fórum Geral Anarquista – São Paulo – Brasil - 22, 23, 24 de junho de 2018

 

Datas

22-06

23-06

24-06

8:30h

 

Grupos de Discussão -A

Roda de Conversa 4

10h

 

Intervalo

“-----"

10:30

 

Roda de conversa - 1

Intervalo

11h

 

“-----"

Avaliação – Celebração - Despedida

12:00h

 

Recepção-Celebração-Acolhimento

Lançamento: Zine-Ofá (zine de expressão anarcopunk afroindigena) e Revista Sobrevidas.

 

12:30h

 

Almoço

 

13:30h

 

Grupos de discussão - B

 

15:00h

 

Intervalo

 

15:30h

 

Roda de Conversa - 2

 

18:30h

Saudação do Berimbau

Jantar

 

19:00h

Conferência de abertura – Mesa Redonda

Roda de Conversa - 3

 

22:00h

Concertos - GIG RAP

Sarau Libertário

 

Programação Detalhada Abaixo

Espaço pedagógico libertário infantil todos os dias.

 

Av. Gustavo Berthier, 155 (Ao lado da Unidade de Saúde) – Rio Pequeno – São Paulo –  Brasil

 

Sexta Feira – 22/06

Saudação do Berimbau

Conferência de abertura:

Mesa redonda: América Latina Livre: abaixo a ditadura da direita e da esquerda. Todo apoio aos anarquistas e a população da Venezuela: Sérgio Norte, Noemi, Refugiados Venezuelanos.
Concertos - GIG Rap: Refugiados do Rap Venezuela, Katarse-Suzano, Servidores do Rap- São Paulo.

 

Sábado – 23/06

Grupo de Discussão – A

A 1 - IIRSA: Infraestrutura da devastação e a defesa do território na América Latina. Noemi – Fenikso Nigra

A 2 - Movimento Anarquista e Movimento AnarcoPunk no Brasil – Coletivo Aurora Negra e Convidados.

A 3 – Mulherismo Negro: Coletivo Marana.

A 4 - Imprensa libertária: Renato Lauris -  Revista Sobrevidas.

A 5 – Existe política além do voto: autogestão social e econômica. Fernando – Liga-RJ.

 

Roda de Conversa 1 – Anarcafeminismo: conquistas e lutas. Mahu

Roda de conversa 2 - Movimento social e movimento sindical: construindo um mundo melhor.

Roda de conversa 3 - Anarquismo e questões étnicas: luta contra o genocídio da população negra e indígena.

 

Grupo de Discussão – B

B 1 - Violência de gênero nos meios anarquistas: redes de apoio, autodefesa – (só pra mulheres cis e trans).

B 2 - Espaços de lutas sociais: escolas, ocupações, centros de cultura, ruas, bairros, cidades: CCS-Vila Dalva e Ocupações de São Paulo.

B 3 – Anarcosindicalismo: organização de base. LiGA-RJ e Fenikso.

B 4 – Anarquismo e futebol – Prof. Fabiano Nanal.

B 5 – Luta anticarcerária e o juvenicídio.

 

Sarau Libertários: Revolta Popular, Zeferina Atak, Poetisas e Poetas. Tod@s convidadas e a chegar e trazer suas poesias e instrumentos.

 

Domingo – 24/06

Roda de conversa 4 - Federalismo anarquista e Sindicato livre: a causa, a organização e a luta por uma

sociedade livre.

0
0
0
s2sdefault

A questão social não é uma questão policial.

O Lucro capitalista é internacionalista e não respeita as condições sociais, culturais e econômicas de qualquer que seja o povo e sua população. Ao empresário e banqueiro, industrial ou comerciante primeiro o seu lucro mesmo que isto custe a vida humana de um ou de milhares.

A greve dos caminhoneiros de caráter geral e com consequências diretas no abastecimento de alimento e de combustíveis é também um grito de socorro à população brasileira contra a exploração que estes trabalhadores vem sofrendo.

Caminhoneiras(os) trabalham entorno de 16horas/dia para poder garantir sua sobrevivência e de seus familiares. Diesel alto, pedágios espalhados por rodovias privatizadas, impostos embutidos em combustíveis obrigam estes trabalharem apenas para sobreviverem.

O sucateamento e desmonte que vem sendo realizado da empresa Petrobras com privatização de parte de seus serviços e produção, aliado a uma política de aumentos de preços sucessivos, torna tudo mais caro e é o trabalhador penalizado: os fretes ficam mais caros, os alimentos ficam mais caros, sua passagem de ônibus fica mais cara, os medicamentos ficam mais caros pois o abastecimento de produtos e serviços depende diretamente das trabalhadoras e trabalhadores caminhoneiras do Brasil, e mesmo dos países da América do Sul.

0
0
0
s2sdefault

La cuestión social no es una cuestión policial.

El lucro capitalista es internacional y no respeta las condiciones sociales, culturales y económicas de cualquiera que sea el país y su población. Para el empresario y banquero, industrial o comerciante primero su beneficio aunque esto cueste la vida humana de uno o de miles.

La huelga de l@s camioner@s es de carácter general y con consecuencias directas en el abastecimiento de alimentos y de combustibles. Es también un grito de socorro a la población brasileña contra la explotación que estos trabajadores vienen sufriendo.

L@s camioner@s trabajan alrededor de las 16 horas / día para poder garantizar su supervivencia y de sus familiares. Diesel alto, peajes esparcidos por autopistas privatizadas, cada vez más impuestos que se suman al precio en combustibles, obligándoles a trabajar sólo para sobrevivir

Lo que viene haciendo la empresa estatal de hidrocarburos Petrobras com privatización de parte de sus servicios y producción, unido a una política de aumentos de precios, hace todo más caro y castigan a los trabajadores: los fletes se vuelven más costosos, los alimentos también, igual que los pasajes de omnibus y los medicamentos, pues el abastecimiento de productos y servicios depende directamente de quienes conducen camiones en Brasil, al igual que en otros paises de Suramérica.

0
0
0
s2sdefault

Carta às trabalhadoras, precarizadas, desempregadas no Brasil.

Organizar, lutar, resistir: 1º de Maio de 2018.

A democracia Capitalista é o governo das elites do poder econômico associadas ao poder político-militar.

A liberdade na democracia capitalista é secundária e está fundada em algumas “miragens” sociopolíticas e “determinações” econômicas. A liberdade na democracia é para as elites e não para a gente trabalhadora.

Uma das “miragens” sociopolíticas correspondem a nos fazer acreditar que participando com o voto em eleições podemos escolher alguém que governará para o bem de todos naquele território que eles chamam de país. Estes homens e mulheres comuns nos quais parte de nós deposita confiança e respeito, prometem, e nunca cumprem: promover e realizar o bem-estar para todos.  A segunda das “miragens” sociopolíticas corresponde a nos fazer acreditar que apenas e somente o Estado é o único que pode manter e organizar a sociedade. Pergunte a você mesma se isto se comprova na história e nos dias atuais.

Uma das determinações econômicas é que a inciativa individual aliada ao trabalho árduo te levará a uma vida de riqueza para ser gozada por você e os seus. A segunda das determinações é que a propriedade privada hereditária é um direito natural. Cabe perguntar, fazer exame de si ou de outrem para constatar quem enriqueceu sem explorar o trabalho de outros. Cabe ainda perguntar se sempre houve propriedade privada hereditária. Ou, ainda, como se conseguiu obter a propriedade privada?

A combinação de “miragens” sociopolíticas e “determinações” econômicas são embaladas como produto de consumo barato encontrado em prateleiras de TV’s, Jornais, Revistas, Redes Sociais na Internet onde você é ao mesmo tempo a moeda e a mercadoria. Ao fim e ao cabo você não escolhe, é sim escolhida e comercializada. 

Neste dia das pessoas trabalhadoras, nesse primeiro de maio é preciso perguntar a si mesma se você elegendo governantes ou se permitindo explorar por um patrão faz a sua vida melhor a cada dia, a cada mês, a cada ano? 

Por que temos de trabalhar tanto para pagar tantas contas? 

Por que os patrões, que nos exploram, vivem bem e nós mal temos o que comer?

0
0
0
s2sdefault

Subcategorias

The Joomla! content management system lets you create webpages of various types using extensions. There are 5 basic types of extensions: components, modules, templates, languages, and plugins. Your website includes the extensions you need to create a basic website in English, but thousands of additional extensions of all types are available. The Joomla! Extensions Directory is the largest directory of Joomla extensions.

Components are larger extensions that produce the major content for your site. Each component has one or more "views" that control how content is displayed. In the Joomla administrator there are additional extensions such as Menus, Redirection, and the extension managers.

Modules are small blocks of content that can be displayed in positions on a web page. The menus on this site are displayed in modules. The core of Joomla! includes 24 separate modules ranging from login to search to random images. Each module has a name that starts mod_ but when it displays it has a title. In the descriptions in this section, the titles are the same as the names.

Content modules display article and other information from the content component.

User modules interact with the user system, allowing users to login, show who is logged-in, and showing the most recently registered users.

These modules display information from components other than content and user. These include weblinks, news feeds and the media manager.

Utility modules provide useful functionality such as search, syndication and statistics.

Navigation modules help your visitors move through your site and find what they need.

Menus provide your site with structure and help your visitors navigate your site. Although they are all based on the same menu module, the variety of ways menus are used in the sample data show how flexible this module is.

A menu can range from extremely simple (for example the top menu or the menu for the Australian Parks sample site) to extremely complex (for example the About Joomla! menu with its many levels). They can also be used for other types of presentation such as the site map linked from the "This Site" menu.

Breadcrumbs provide users with information about where they are in a site.

Templates give your site its look and feel. They determine layout, colours, typefaces, graphics and other aspects of design that make your site unique. Your installation of Joomla comes prepackaged with three front end templates and two backend templates. Help

Plugins are small task oriented extensions that enhance the Joomla! framework. Some are associated with particular extensions and others, such as editors, are used across all of Joomla. Most beginning users do not need to change any of the plugins that install with Joomla. Help

Here is where I will blog all about the parks of Australia.

You can make a blog on your website by creating a category to write your blog posts in (this one is called Park Blog). Each blog post will be an article in that category. If you make a category blog menu link with 1 column it will look like this page, if you display the category description then this part is displayed.

To enhance your blog you may want to add extensions for comments, interacting with social network sites, tagging, and keeping in contact with your readers. You can also enable the syndication that is included in Joomla (in the Integration Options set Show Feed Link to Show and make sure to display the syndication module on the page).

These are my photos from parks I have visited (I didn't take them, they are all from Wikimedia Commons).

This shows you how to make a simple image gallery using articles in com_content.

In each article put a thumbnail image before a "readmore" and the full size image after it. Set the article to Show Intro Text: Hide.

We search the whole countryside for the best fruit growers.

You can let each supplier have a page that he or she can edit. To see this in action you will need to create a user who is in the suppliers group.

Create one page in the growers category for that user and make that supplier the author of the page. That user will be able to edit his or her page.

This illustrates the use of the Edit Own permission.

Joomla templates by a4joomla